"Celaena ressurge das cinzas ainda mais forte e letal. E parte em uma jornada em busca de uma obscura verdade: uma informação sobre sua herança e seus antepassados que pode mudar sua vida e o futuro de dois reinos para sempre. Enquanto isso, forças sinistras começam a despontar no horizonte e têm planos malignos para dominar o seu mundo. Agora, depende de Celaena encontrar coragem para enfrentar tais perigos, além de seus próprios demônios, e fazer a escolha mais difícil da sua vida."





Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 422
Classificação: 4/5 ♥
Formato da leitura: E-book

Terceiro livro da série Trono de Vidro. Celaena deixou Adarlan para ir à Wendlyn, com a missão real de assassinar o rei e seu herdeiro. No entanto, a jovem é levada até Defesa Nebulosa, onde se encontra com a rainha féerica, Maeve. Para que possa entrar em seu reino, Doranelle, Celaena precisará ser treinada com magia, pois ela é a herdeira de cinzas e fogo.

Maeve designa o príncipe Rowan Whitethorn para a missão. Rowan é um guerreiro letal e impiedoso, e toda a experiência de Celaena como assassina se mostra inútil com relação a magia. Apesar da animosidade entre os dois, os recorrentes assassinatos de féericos por seres malignos acaba  por aproxima-los.

Uma nova personagem aparece, Manon Blackpeak, a herdeira do Clã Bico Negro e líder das Treze. Manon é uma bela jovem de cabelos prateados e olhos dourados, porém com dentes e unhas de ferro. Cada uma das integrantes dos clãs Bico Negro, Pernas Amarelas e Sangue Azul, formam o Clã Dentes de Ferro, e no livro cada uma terá a missão de escolher uma das bestas com corpos de serpente e asas criadas pelo rei de Adarlan e treiná-las para a guerra.

Para decepção de sua avó e matriarca do clã, Manon escolhe Abraxos, uma das bestas aparentemente mais fracas. A jovem não desiste do dragão, mesmo aguentando humilhações dos três clãs, e está disposta a mostrar a todas do Clã Dentes de Ferro do que ambos são capazes.

Em Adarlan, Chaol e o general Aedion Ashryver formam uma tênue aliança em prol de Celaena. Já o príncipe Dorian está tentando controlar sua recém encontrada magia ao lado da curandeira Sorscha e tentando não ser descoberto pelo próprio pai. O rei não exitaria em matá-lo, assim como qualquer um que soubesse que Dorian possuía magia.

Ao longo do livro, descobrimos mais sobre os planos malignos do rei, como a magia desapareceu há dez anos, acompanhamos o desenvolvimentos dos personagens e finalmente descobrimos sobre os detalhes da noite da morte dos pais de Celaena.

Eu amei o livro. Apesar de ter tido menos romance, compensou em muita ação, aventura, magia e mistério. Celaena amadureceu bastante desde o primeiro livro da série. O ritmo do livro, escrito através de diferentes pontos de vista, não deixou a estória parada.

Rowan e Manon foram personagens que já cativaram a minha atenção e o livro terminou com um enorme gancho para o próximo. Recomendo a leitura para todos que gostem de estórias de fantasia e aventura. O crédito da ilustração da personagem Manon é da artista Taratjah.

A tradicional pousada da cidade de Boonsboro já viveu tempos de guerra e paz, teve diversos donos e até sofreu com rumores de assombrações. Agora ela está sendo totalmente reformada, sob direção dos Montgomerys, que correm para realizar a grande reinauguração dentro do prazo.
Beckett, o arquiteto da família, é um charmoso conquistador que passa a maior parte do tempo falando sobre obras, comendo pizza e bebendo cerveja com seus irmãos Ryder e Owen. Atarefado com a pousada, ultimamente nem tem desfrutado de uma vida social decente, mas pretende mudar logo isso para atrair a mulher por quem é apaixonado desde a adolescência.
Depois de perder o marido na guerra e retornar para Boonsboro, Clare Brewster leva uma vida tranquila cuidando de sua livraria e dos três filhos. Velha amiga de Beckett, ela volta a se reaproximar dele ao ajudar nos preparativos da pousada.
Em meio a essa apaixonante reconstrução, rodeados de amigos, Beckett e Clare passam a se conhecer melhor e começam a vislumbrar um futuro novo e promissor juntos.
Neste primeiro livro da trilogia A Pousada, Nora Roberts apresenta o romântico Beckett Montgomery, que, ao buscar realizar o sonho de sua família, acaba deparando com um amor que pensava estar esquecido.
Autor: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Classificação: 3/5
Formato da leitura: Físico

Um Novo Amanhã é o primeiro livro da trilogia A Pousada. A história irá acompanhar vários habitantes da cidade de Boonsboro, com um foco especial nos irmãos Montgomery: Beckett, Owen e Ryder. Eles e a mãe, Justine, compraram um antigo edifício, e o estão reformando e o transformando em uma pousada. O edifício é uma construção antiga e abriga um certo personagem misterioso e de extrema importância para a história, um fantasma. Mas tirando este pequeno traço sobrenatural, tudo nesta história é bem real e cotidiano.

O irmão em foco neste livro é Beckett, que é apaixonado por Clare desde sua adolescência. Ele a viu se casar e ter filhos, e mesmo assim aquele sentimento nunca foi embora. Agora Clare é uma jovem viúva de um herói de guerra, com três filhos pequenos, e dona de uma livraria na cidade.

Conforme a construção se aproxima cada vez mais de uma bela pousada, Clare e sua melhor amiga Avery, dona de uma pizzaria maravilhosa, a Vesta, começam a ajudar os irmãos com a decoração e até arranjam uma gerente para o hotel, e amiga delas, Hope. E conforme as três começam a ajudar com a pousada, mais Clare se aproxima de Beckett e descobre sentimentos há muito esquecidos.

"Contos de fadas, murmurou. Sempre fora uma boba, louca por eles. E por finais felizes, em que tudo acabava tao bonito como um laço de fita no cabelo cacheado de uma menina."

Eu amo a escrita da Nora Roberts, e pretendo continuar lendo esta trilogia, apesar desta história não ter me conquistado... A trama girou em torno do romance e da reforma da pousada, praticamente durante todo o livro. Não houve uma trama paralela, houve apenas um pequeno suspense, e fiquei sentindo falta de algo a mais.

Clare e Beckett são um casal fofo, que se completam e se entendem. Isso não impede que tenham desentendimentos, mas tais apenas os fortalecem. Os filhos de Clare são uma graça, arteiros e queridos. Dos irmãos, Owen pareceu o mais centrado, talvez por ser o contador da família. Ryder, o mais esquentadinho, enquanto Beckett é o arquiteto, o sonhador.

Justine é uma mulher de fibra, e é a voz cômica da história. Eu fiquei muito curiosa sobre a história da Lizzie, o fantasma que habita a pousada e exala o perfume de madressilvas. Por que ela não seguiu em frente?

Vou esperar para ver se mudo de opinião nos próximos volumes, O Eterno Namorado e O Par Perfeito. Eu recomendo esta leitura para quem ama romances água com açúcar, leves e despretensiosos.

O capitão Salazar (Javier Bardem) é a nova pedra no sapato do capitão Jack Sparrow (Johnny Depp). Ele lidera um exército de piratas fantasmas assassinos e está disposto a matar todos os piratas existentes na face da Terra. Para escapar, Sparrow precisa encontrar o Tridente de Poseidon, que dá ao seu dono o poder de controlar o mar.








Título Original: Dead Men Tell No Tales
Ano de Lançamento: 2017
Direção: Joachim Rønning, Espen Sandberg
Classificação: 5/5 ♥

A história começa nos mostrando Henry, filho de Will e Elizabeth, que tenta encontrar o pai e libertá-lo da maldição. Ele sabe que se conseguir o Tridente de Poseidon, poderá colocar um fim a maldição do capitão do Holandês Voador. Porém, ninguém acredita no jovem e na capacidade dele encontrar uma lenda. Ele decide que irá atrás de Jack Sparrow em busca de ajuda.

Os anos se passam, e conhecemos a jovem Carina Smith (Kaya Scodelario), que está prestes a ser levada para a forca, acusada de bruxaria. A jovem é extremamente inteligente, voltada para as ciências, e a frente de seu tempo. Isso gerou espanto para a sociedade, pois o conhecimento científico era destinado apenas aos homens.
Também conhecemos Salazar (Javier Bardem) e sua tripulação, um antigo caçador de piratas amaldiçoado, que jurou vingança contra Jack. E por um descuido deste, ele pode liberar a fúria de homens que não veem a luz do dia há décadas.


Eu amei este filme! Quase rivaliza com meu amor pelo terceiro filme, No Fim do Mundo (At World's End). O filme mescla aventura, humor, ação e drama de uma maneira impecável. Amei os novos personagens introduzidos, principalmente a Carina, uma garota inteligente que era menosprezada por seu sexo, mas que nunca deixou isto afetar sua sede pelo conhecimento.

Henry também me conquistou, o jovem obstinado e sonhador, que fará de tudo para libertar seu pai da maldição. E Salazar é um vilão a altura dos filmes de Piratas do Caribe, cruel e vingativo, mas por outro lado, real. Há um motivo para sua raiva, há uma razão por trás de tudo.

Como todos puderam perceber, estou apaixonada pelo filme, e se possível gostaria de vê-lo novamente nos cinemas. Para quem é fã de aventura e ação, este filme é imperdível.


Olá, leitores, como vão? Encontrei esta TAG no canal Vamos Ler e achei a TAG muito legal por ter a proposta de serem respostas curtas e objetivas para cada pergunta! Sinta-se a vontade para responder a esta TAG em seu canal do YouTube, blog ou Instagram.

E-Book or Livro físico?
Físico. Nada se compara ao cheiro de livros novos!
Capa comum ou capa dura?
Comum, por ser mais leve e prática. (e barata!). Mas também amo edições de capa dura...
Livraria online ou livraria física?
Física. Nada como olhar os livros, sentir o cheiro das páginas novas e folhear belas edições.
Série ou Trilogia?
Trilogia! Em outras palavras, Início, meio e fim.
Heróis ou Vilões?
Heróis, sem dúvida!
Um livro que você recomenda para todo mundo ler?
Pollyanna - Eleanor H. Porter. Um livro lindo, que com certeza é para pessoas de todas as idades!
Um livro subestimado? 
Acho que todos os livros clássicos são um pouco subestimados.
O último livro que você terminou de ler? 
O Guardião - Nicholas Sparks.
O último livro que você comprou? 
Empire of Storms (ToG 5) da Sarah J. Maas e O Amor nos Tempos de Cólera do Gabriel Garcia Marquez.
Coisa mais estranha que você usou de marcador de página?
Um cupom fiscal!.
Livros usados: sim ou não?
Sim! Tenho vários livros que comprei em sebos.
Três Gêneros Literários Favoritos?
Fantasia, Romance Histórico e Clássicos.
Comprar ou Emprestar? 
Emprestar... Eu leio muitos livros de biblioteca!
Personagens ou Trama?
Personagens. Não há trama que salve personagens sem profundidade.
Livros longos ou curtos?
Longos! Quanto mais história, melhor!
Capítulos longos ou curtos?
Curtos, pois é melhor parar a leitura antes de um novo capítulo do que no meio de um.
Os primeiros três livros que vierem à sua cabeça: 
Corte de Asas e Ruína, No Mundo da Luna e O Hobbit.
Livros para rir ou livros para chorar?
Para rir!
Nosso Mundo ou Mundos Fictícios?
Mundos Fictícios!
Audiobooks: Sim ou Não?
Não! Eu me distraio muito facilmente com apenas os sons das palavras, hehe. Se bem que aprovo audiobooks na hora de aprender um idioma. Mas novamente, além do audiobook seria interessante o livro físico, para acompanhar em palavras os sons.
Você julga um livro pela capa? 
Levo em consideração muito mais a sinopse do que a capa, pois já vi livros com capas maravilhosas, porém que a sinopse não me instigou a ler o livro.
Adaptação de livro para filme ou de livro para série de tv?
Acho que série de tv seria melhor por ser mais abrangente, e penso que seria ótimo uma série de tv baseada na série de livros Os Bridgertons da Julia Quinn!
Um filme ou série que você gostou mais do que o livro? 
Um Amor para Recordar - Nicholas Sparks. Tanto o filme como o livro são lindos, mas confesso que o filme me emocionou mais do que o livro!
Livros em série ou livros únicos?
Livros únicos, se possível!

Espero que vocês tenham gostado das minhas respostas!

Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 480
Classificação: 4/5
Formato da leitura: Físico

Crave a Marca foi uma leitura muito surpreendente! Me lembrou muito de Star Wars: A Força sendo representada pela corrente, que flui pelos seres e planetas pela galáxia. Uma Assembleia que controla o comércio e as relações diplomáticas entre os planetas, assim como o Senado de Star Wars.

Algo que ocorre em todos os planetas da galáxia é que cada habitante possui um dom da corrente, um poder que se manifesta de forma diferente em cada indivíduo, e apenas alguns possuem a fortuna. A fortuna é determinada pelos oráculos, três em cada planeta, onde em cada possibilidade de futuro, ocorre o mesmo destino para determinadas pessoas.
Corações frágeis fazem valer a pena viver neste mundo.
Thuve é um planeta habitado por duas nações em guerra: Thuvianos e Shotets. Akos Kereseth é filha da oráculo Sifa, e com ela aprende a preparar poções com flores-sossego. Ele é muito ligado a família, e por ainda ser criança, não conhece seu dom da corrente, mas sabe que ele e seus irmãos Eijeh e Cisi possuem fortunas, apesar de os pais não lhes terem revelado quais são.

Tudo muda quando a Assembleia decide quebrar o sigilo e revelar para todos os habitantes dos planeta-nações as fortunas de crianças em todos os planetas. É então que o caos se instala. Akos é retirado da escola com seus irmãos e levados imediatamente para a casa deles, onde descobrem três soldados Shotet os esperando.
É como se, quanto mais terríveis forem as coisas que você descobre de uma pessoa, ou mais terrível a pessoa for para você, mais gentil você é com ela.
Apesar de lutarem, Akos e Eijeh são levados pelos inimigos. É lá que irão descobrir suas verdadeiras fortunas, e conhecer Ryzek Noavek, líder Shotet, e sua irmã Cyra. Rizek é cruel e um estrategista, que tenta a todo o custo reverter sua fortuna. Ele usa sua irmã para alcançar seus objetivos, pois o dom da corrente dela é a dor, e assim ele pode torturar seus inimigos através dela. Porém, Cyra também sofre constantemente com as dores de seu dom.

É quando Rizek decide colocar Akos a serviço de sua irmã, pois o dom-da-corrente de Akos impede os dons de outras pessoas de se manifestarem, já que seu poder impede o fluxo da corrente. Com o toque de Akos, Cyra pode viver sem dor.

Algo que acaba surpreendendo a ambos é a amizade que surge entre eles. Conforme a amizade deles fortalece, ambos terão terão de decidir sobre a lealdade de cada um, se os laços familiares valem mais do que a honra, mais do que a verdade e da bondade.
Eu era uma Noavek, e ele um Kereseth. Eu era da nobreza, e ele um prisioneiro. Qualquer que fosse a tranquilidade que encontrávamos um no outro era construída ignorando os fatos.
Eu amei este livro! Cheio de ação e fantasia, o livro é perfeito para os fãs de Star Wars e ficção científica. Amei a construção deste mundo, povos e culturas diferentes, mas ao mesmo tempo, tão parecidos. Todos sentem dor, todos sofrem, todos temem, e todos amam.

Os personagens foram bem construídos, tanto os principais como os coadjuvantes. Cyra foi criada em um lar sem amor, porém isso não impede que ela sinta. Eles podem te-la criado como uma arma para ser usada contra inimigos, mas não puderam endurecer seu coração.

Já Akos foi separado de sua família pelos Shotet e assistiu sem poder impedir seu irmão Eijeh ser transformado lentamente em outra pessoa. Seu maior desejo é fugir e levar seu irmão com ele.
Não há lugar para honra na sobrevivência.
Rizek age e pensa como um tirano, mas no fundo é apenas alguém assustado, lutando contra o destino, se apegando ao poder e ao prestígio social, apesar de isto afastá-lo da única pessoa realmente ligada a ele, sua irmã.

Estou muito ansiosa pela sequência, com lançamento previsto para 2018, para descobrir como esta história irá terminar e que caminhos os personagens irão escolher. Eu amo a trilogia Divergente e já esperava gostar deste livro, mas mesmo assim foi uma ótima surpresa ter minhas expectativas superadas.

Divulgação de blogs